quarta-feira, setembro 29, 2010

Migalhas

Escrito por Naiara às quarta-feira, setembro 29, 2010
Reações: 
1 Comentários Links para esta postagem
Até quando ficarei contando as migalhas de um tempo que não volta mais?
É inútil continuar acordando e desejar que volte o tempo, sendo que o máximo que posso fazer é continuar minha vida como se tudo tivesse mudado por um segundo! 



(E em pouco tempo tudo mudará novamente!)

sexta-feira, setembro 24, 2010

Um Poema Qualquer

Escrito por Naiara às sexta-feira, setembro 24, 2010
Reações: 
1 Comentários Links para esta postagem

E quando eu receberei aquele abraço vendo o nascer do sol pelas serrar e construções?
Quando terei seu ombro e desabafos a revelar do pior lado de mim?
E quando será que nos encontraremos novamente, para nunca mais se vê?

Será que tenho todo este tempo que julgamos ter?
A inocência não se aflora mais em nossas faces.
E nós nos reveremos, sem todo esse turbilhão de nossas mentes,
E quem sabe eu te chame de amigo?

Dancer in the Dark

Escrito por Naiara às sexta-feira, setembro 24, 2010
Reações: 
0 Comentários Links para esta postagem

''DIZEM QUE É A ÚLTIMA CANÇÃO MAS ELES NÃO NOS CONHECEM SÓ SERÁ A ÚLTIMA CANÇÃO SE DEIXARMOS QUE SEJA'' 

quarta-feira, setembro 22, 2010

Posso te fazer feliz?

Escrito por Naiara às quarta-feira, setembro 22, 2010
Reações: 
2 Comentários Links para esta postagem


Deixa eu te fazer feliz?
Por um espasmo de um segundo,
pela promessa de um amanhã,
deixe-me te fazer sorrir, e esquecer:
Problemas, carreira, futuro.
Apenas deixe-me te fazer feliz e te completar,
por mais um simples segundo.

Sem mudanças

Escrito por Naiara às quarta-feira, setembro 22, 2010
Reações: 
1 Comentários Links para esta postagem
Não acho certo uma pessoa entrar na sua vida por um dia e mudar toda sua forma de pensar e te fazer refletir sobre como você levava sua vida! É muito egoísmo querer acabar com a estabilidade que procurava.


terça-feira, setembro 21, 2010

Passa o Tempo mas não passa a Insegurança

Escrito por Naiara às terça-feira, setembro 21, 2010
Reações: 
1 Comentários Links para esta postagem



Eu acreditava que passada a adolescência todos aqueles tormentos que me seguiam, e todas as incertezas de relacionamentos fossem solucionadas, que o tempo e a idade dessem conta de tudo isso.

Mas não deu certo.

E o pior é que eu sei que irá passar, por que eu sou exper em fazer este tipo de coisa. É só porque já passou da meia noite e eu ainda não estou 100% segura do que esta me incomodando.

Eu quero deixar bem claro que eu não sou uma pessoa triste, depressiva, mal amada (isso pode até ser as vezes) ou toda a imagem que de alguma forma eu passo pelas coisas que eu escrevo, é só que eu gosto de escrever sobre esses aborrecimentos que me acontecem porque me deixa mais aliviada, como se falar eliminasse boa parte deles.

Eu sou uma pessoa consideravelmente feliz em até boa parte do tempo, é só que eu me armo tanto de barreiras impenetráveis e de vagabundices promiscuas que quando eu me vejo afetada pelos meus próprios atos e não posso fazer nada a respeito disso para mudar a situação em pouco tempo eu me sinto perdida. Parte da forma de como eu fui acostumada a receber as coisas, em geral em bandejas na hora que eu as solicitavas, então esperar se tornou algo muito difícil para mim, e é quase uma fraqueza assumida e explicita que tento maquilar. Apenas aqueles desejos que me motivam que eu fui e sou cabeça dura o bastante para persistir, persistir e não parar até que eu os consiga realizar. Mas nem por isso, o que me dá trabalho de conseguir seja o que eu mais irei valorizar.  

segunda-feira, setembro 20, 2010

Frase Dramatica

Escrito por Naiara às segunda-feira, setembro 20, 2010
Reações: 
1 Comentários Links para esta postagem




Por causa de alguns sorrisos eu posso chegar ao fundo do inferno de minha consciência. 

quinta-feira, setembro 16, 2010

Colecionando...

Escrito por Naiara às quinta-feira, setembro 16, 2010
Reações: 
2 Comentários Links para esta postagem




Eu colecionei sonhos que não podia realizar e coloquei-os um a um na estante de meu pensamento para que eu sempre pudesse recorre-los quando as incertezas me abalassem.
Eu colecionei sonhos realizados e os distribui a minha felicidade como se fossem minhas unicas certezas naqueles momentos únicos.
Eu colecionei amores e amantes como se fazem as cortesãs e os dediquei o meu carinho por momentos de afeto.
Eu colecionei dores amorosas como que colhe rosas e se fere com os espinhos, antes mesmo de sentir a dor já estavam sangrando as mãos. 
Eu colecionei certezas nas quais tive que redimir na duvida,
Assim como colecionei posições nas quais falhei em persistir nelas.
Colecionei sorrisos e palhaçadas no meio de caminhos tão frequentemente abalados pelo desespero,
E colecionei lagrimas quando o mundo pensava que eu estava sorrindo. 
Venho colecionando dias, carregados de minutos, e cada um deles muito únicos, e o que posso fazer para que eles não escorram pelas minhas mãos e vá parar na estante dos momentos perdidos? Apenas posso vive-los... 

quarta-feira, setembro 15, 2010

Apenas um Desejo

Escrito por Naiara às quarta-feira, setembro 15, 2010
Reações: 
1 Comentários Links para esta postagem


É muito egoismo de minha parte, mas como alguem como eu que vive alimentando um enorme amor platônico e praticando isso livremente não pode cair na sua própria armadilha de chorar litros apenas por assistir um filme que de alguma forma o lembra?
Recordar não retira pedaços que podem ser de extrema importância para nós dois.
Já se vão alguns bons anos desde o dia em que o vi pela primeira vez, e é incrível como posso descrever cada detalhe daquele momento, assim como a primeira vez que nos falamos realmente. Mesmo hoje com toda a carga que temos carregado pelo tempo não consigo ter uma conversa com a mesma voz firme que teria com qualquer outro amigo.
A pouco mais de meia hora sai do cinema em lagrimas após assistir o filme Once (Apenas Uma Vez). Eu não sei em parte do filme ou das musicas eu passei a lembrar dele, ou mesmo se foi na porta do cinema no qual eu vi descer de um carro alguem que me lembrava-o, eu só senti um extrema falta que não havia por onde recorrer.
Percebi então que ainda existem lagrimas nestes meus olhos para serem derramadas e que ainda serei pega de surpresa pelas minha próprias fraquezas. Mesmo agora eu ainda seguro-as por mais que o esforço seja em vão e exista um pouco de cada uma delas molhando meu teclado.
Se eu tivesse que escolhe rum único pedido para o qual ser realizado é ser capaz de falar o quanto ele é importante na minha vida.

 

Sonhos Loucura & Realidade Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos