segunda-feira, maio 17, 2010

Presente de Deus!!!

Escrito por Naiara às segunda-feira, maio 17, 2010
Reações: 
0 Comentários Links para esta postagem
Hoje eu falarei um pouco de como eu era, ou mesmo de coisas que eu fiz e nas quais foram marcas de experiencias para o que eu me tonei hoje. Em partes é uma homenagem a uma pessoa que acompanha este blog, e não é por motivos puxa-siquismos que vou falar de minha relação a ela, afinal, vivo falando de pessoas que nunca leram uma linha do meu blog, e são linda, e especiais do mesmo tamanho! E a verdade é que algumas eu fico até feliz de nem pensarem em xeretar por aqui, vai que elas entendam que eu estou falando é delas mesmo? Não tenho um circulo social de convivência tão vasto assim, é fácil de saber quando as pessoas são-me importantes ou meros comprimentos de “ois” na rua.

Aos 15 anos eu era uma pessoa sem problemas! Isto visto pelos olhos de uma mulher de 22 que tenho hoje, que fazem parecer remotos os problemas duvidas e o turbilhão que passava na minha cabeça na adolescência por ser ou pensar diferente das outras pessoas, e não me encontrar totalmente identificada no meio em que eu vivia. Depois que você passa por esta faze, descobre que ser diferente pode ser sinônimo de “interessante”, chega até ser afrodisíaco, porem, continuo sem namorado, então não caia totalmente nessa chacota.
Continuando aos relato muito íntimos dessa idade que não me traz total alegria, eu continuarei falando do lado bom dela, da identificação. Aos meus lindos e graciosos 15 anos de idade, eu era uma pseudo-rebelde-sem-causa, bem diferente dessa acomodada de hoje, minha senhora, você nem imagina. Traduzindo, o pseudo é porque eu não era totalmente rebelde, e sem causa era meu errado porque eu tinha uma causa para ser rebelde, só não articulei ela na época porque seria expor demais minha família por transtornos mentais meus, ou seja, vocês não saberão qual era o meu problema na época, porque hoje me sinto não muito mais aberta do que naquela época para falar.
Foi justamente nesta idade, no 1º ano do ensino médio (não me perguntam qual é a nomenclatura para esse grau de ensino hoje não porque eu sou do tempo que íamos até a 8ª seria do ensino fundamental e não até o 9º ano), que eu resolvi que seria inteligente! Fato cruel porque isso eu nunca fui, só que eu queria estudar, ter boas notas, e saber que elas eram de meu merecimento, mas eu deixo bem claro que isso foi somente naquele ano, depois eu me perdi no

Pois bem, voltando ao assunto inicial deste post, era primeiro dia de aula, eu ainda me lembrava da roupa que eu tinha ido, era uma saia preta justa, e uma blusa preta justa, eu fico imaginando agora como deve que tava ridículo porque eu era muito mas muito mais magra do que sou hoje, então imaginem uma vareta de cabelos pretos e longos vestida de preto, foi neste dia que a vi pela primeira vez. Não sei porque cargas d'água naquela época eu a achava muito parecida com uma prima muito distante minha, dessas que você vê a cada 5 anos em algum evento comum de família. Não precisa dizer que naquela época eu não fui com a cara dela né? Afinal me fala que pessoa que eu tenho estima eu costumo de dar bem logo assim de cara? A primeira impressão minha em geral nunca é a que predomina! Eu tive que demorar muito, mas muito tempo para conviver com aquele gênio meio arrogante que eu sentia dela, alem de que parecia que um dia eu iria encontrar meu corpo esticado em alguma vala de o quanto ela queria me matar pelas minhas notas, que nem eram lá muito diferentes das dela! O fato é, que no meio daquelas desavenças e muita, mas muita coisa nada em comum, descobri uma das pessoas mais parecidas comigo naquela escola, alguém que eu queria ficar perto dela, porque eu me sentia bem! Entendem né? Eu já falei tantas vezes que eu costumo me apaixonar pelos meu amigos muito mais do que pelas pessoas que eu deveria me envolver afetivamente, e não é de se duvidar não é mesmo? Como eu posso dizer que não amei ter passado meu ensino médio inteiro ao lado desta garota, que por mais que ela não concordasse com nada de minhas atitudes ou de minhas ações, e tenho certeza que ela me daria umas boas puxadas de orelha se me visse hoje, eu não sei o que seria daquela pseudo-rebelde-sem-causa caso eu não a tivesse conhecido.
Ano que vem ela vai se casar! Tenho certeza que ela ira realizar o sonho da vida dela e eu fico tamanhamente feliz por isso! Só não me desejem o mesmo viu? Ainda tenho muito o que me apaixonar e me decepcionar com os seres humanos até chegar o dia de dar este passo, mas as vezes eu penso nela, no altar e penso que uma partezinha de mim vai ta lá com ela! Alem de meu corpo presentíssimo no local, porque não da para ficar de fora dessa nem pelos cometas Halley caindo na minha cabeça!
Tatá, obrigada por existir na minha humilde e modesta vida!!! Eu tenho uma foto bem mais trash nossa no meu guarda roupa, mas achei que você fosse gostar desta!

quarta-feira, maio 12, 2010

poema, apenas mais um poema

Escrito por Naiara às quarta-feira, maio 12, 2010
Reações: 
0 Comentários Links para esta postagem
Eu retiro destes momentos de tédio
Segundos para ter comigo mesma
Nesta sala escura, onde quase não consigo ler o que escrevo
Um lugar onde minhas alergias se atacam
Uma aula que me dispersa,
Nos meus ouvidos, tentando esconder os fones
tocam musicas que me acalmam.
Encosto na parede,
Tento prestar atenção na aula,
Mas meus olhos querem se fechar pela falta de luz
E minha mão não solta a caneta.
As imagens vão se passando no data-show,
Ouço o abrir e fechar das janelas empurradas pelo vento.
Hoje é um dia frio, bem da forma que eu gosto,
Onde meu aquecimento é interno, e minhas recordações
Se parecem grudadas em mim.
Releio o que escrevo, e a vontade é de passa-lo a limpo,
Sem erros de português, concordâncias
Mas então eu entendo, os meus textos são como a mim
Recheados de erros, mas que se aparentam certos
Pela forma correta de se entonar as palavras.

terça-feira, maio 11, 2010

Poema

Escrito por Naiara às terça-feira, maio 11, 2010
Reações: 
0 Comentários Links para esta postagem
Já é tarde, precisamos acordar
São quase meio dia, é hora de sair da cama.

Esta noite foi difícil para dormir
eu sentia frio e nada que eu fazia me aquecia.
E quando eu finalmente adormeci
Eu pude lhe ver
E em meus sonhos você me ignorou.

E o que eu faço agora
Quando tudo que você me deixou foi seu cheiro nos meus lençóis?

E como eu fico agora
Se nem meu corpo deseja outro?

Você que me fez perceber que tamanho não é documento
Que eu podia me proteger com seus grandes braços,
E caminhar me parece tão arriscado
Tão inevitável deixar de te encontrar.

Já são quase uma da tarde
Vista-se, dispa-se ou tome um banho
Saia de casa.
Aquele tempo acabou, é hora de trocar o relógio
comprar sapato novo e sorrir.
A noite é fria,
Tenha um cachecol para dormir.
Escrito por Naiara às terça-feira, maio 11, 2010
Reações: 
0 Comentários Links para esta postagem
é uma verdadeira puta sacanagem dizer que não estive apaixonada nestes ultimos dois anos!
eu so queria me apaixonar novamente, por um novo ou velho amor!

domingo, maio 09, 2010

Quero me Apaixonar

Escrito por Naiara às domingo, maio 09, 2010
Reações: 
0 Comentários Links para esta postagem
Eu queria me apaixonar. Mas começo a acreditar que este tipo de coisa não acontece mais depois de uma certa idade. Nem aqueles meus amores platônicos que costumavam fazer minha vida andar, e me mover, não estão existindo mais. Eu me chateio por isso, porque eu aprendi a me acostumar a sempre ter um paixão, e já se vão cerca de 2 anos que não me apaixono loucamente, de ser uma necessidade quase que vital ter alguem para admirar, querer, fazer planos em torno...
é um pouco de falta de psicopatia de minha parte, mas eu gosto desta sensação, e o que eu sinto é que depois que se passa da adolescência onde tudo era vivido muito intensamente, depois que você aprende que o coração fala, mas pode ser calado, e se decepciona tanto com as pessoas, relacionamentos passam a ser questão de conveniência, e não sentimentos a flor da pele. Talvez seja esta a única coisa que me faça falta daquela época, onde eu vivia meus amores como se fosse morrer amanha.
Queria me apaixonar, sentir bem ao estar com alguem, e aquilo ali me bastasse, mas não consigo! Não consigo me apaixonar por ninguém, porque? E é bem provável que eu brigue com quem queira ter algum tipo de sentimento por mim, quando eu só penso no meu amor próprio!

sexta-feira, maio 07, 2010

Dúvidas, e mais dúvidas

Escrito por Naiara às sexta-feira, maio 07, 2010
Reações: 
0 Comentários Links para esta postagem
Eu posso estar errada, mas também posso estar muito certa disto tudo, então eu deixarei na duvida para mim mesma não cair nesta duvida que eu não quero cogitar.
Existem momentos que eu acredito que não sou eu a escrever, e sim uma especie de psicografia na qual eu sou só mais um instrumento para digitar o que alguem quer que escrever e não pode mais.
Porém eu não sou do tipo de pessoa que tem qualquer tipo de sensibilidade para espíritos, fantasmas ou mesmo sentir cargas negativas. Não sei se isto é bom ou ruim, e mais uma vez eu prefiro a duvida do que a certeza de que nem com os espíritos eu sou capaz de me relacionar.
Não é difícil encontrar alguem falando que Ouro Preto é uma cidade muito carregada, que ela tem todo esse peso de seculos acumulado nessa arquitetura, casas e que a “energia” do lugar não é uma das melhores. Para mim esta cidade é uma que eu pude ter a melhor e maior estória de amor que eu poderia presenciar, no mais tudo que eu ver sentir, no fundo eu estarei lembrando dos meus dias mais felizes e mais turbulentos também, cada esquina, poste, beco eu tenho uma historia para contar no qual eu estava do lado dele. E isto já se passou tempo o suficiente para esquecer uma grande parte delas, mas infelizmente ou felizmente, mais uma vez a dúvida, eu não sei informar o quanto delas ainda persistirá na minha memoria.
Até mesmo pensando na única vez em que me senti aberta a presenciar manifestações sobrenaturais, eu nunca saberei se eram verdadeiras ou frutos da minha imaginação que estava drogada demais para saber o que é real ou não. E para completar, era ele que estava ao meu lado!
Sempre uma duvida para levar meus dias. Eu penso que quando eu me formar e for de vez dessa cidade como será que esvaziará toda esta esperança que eu ainda carrego comigo ao caminhar por ruas na esperança de um dia, só mais uma vez re-encontrá-lo. Quando eu me for, tudo está acabado, toda essa agonia de pisar em algum lugar que pode ser comum a ele também, e ai, o que já não temos de contato algum, um dia será apenas memoria. Ai então, talvez eu cante que aquele beijo era mesmo o fim, e agora eu posso me lembrar tão bem daquele beijo que quase chego a querer-lo mais uma vez.

domingo, maio 02, 2010

Recaida

Escrito por Naiara às domingo, maio 02, 2010
Reações: 
0 Comentários Links para esta postagem
Não podia ter um dia de paz e tranquilidade e levar a minha vida feliz como estava para ser! Estava tudo se ajeitando, eu estava tão confiante de mim mesma que isso chegava a transparecer aos olhos de todos em minha volta. Mas como eu sou uma grande puta em matéria de fazer merda com a própria vida, ontem eu consegui mais uma vez cair na tentação daqueles olhos!
1 ano, 6 meses e 24 dias! Foi essa a contagem de dias que consegui passar na minha vida sem beijar aquela boca, sem abraçar aquele corpo. Foi essa a quantidade de dias que eu deve ter passado falando para mim mesma que eu não queria mais, que eu estava bem, ou pior ainda, que eu devo ter me forçado a gostar de tantos outros para substituir a presença de Um.
Não estou arrependida, afinal eu tive bons momentos antes de finalmente acontecer para sair correndo, ou melhor ainda, eu poderia nem ter ido lá dar aquele “Oi”. Mas não, eu não só fui como também fiquei por lá mesmo! Idiotice de minha parte achar que fiz alguma especie de crime, ora, sou solteira, maior de idade, e sem dever nada de minha vida amorosa a ninguém, e o fato de que no dia 6 de outubro de 2008 eu disse que jamais teria uma outra vez, e que eu não voltava atras nas minhas ações, não me faz uma pessoa muito ruim. Não mesmo! Tudo bem que a realidade é outra, eu não terei nada mais com ele, mas simplesmente cai na tentação, reconheço essa fraqueza, mas gostei de ter aquela pessoa perto de mim, como tive que ouvir dele mesmo, parecia como a primeira vez que nos vimos, só com o detalhe que dessa vez eu não vomitei na frente dele!
 

Sonhos Loucura & Realidade Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos